O caso (im)possível da divisão dos 17 camelos

Camelos

 

Um homem deixou aos seus 3 filhos uma herança de 17 camelos. Deu instruções para que os 17 camelos fossem divididos pelos 3 da seguinte forma:

– o primeiro filho ficava com metade dos camelos,

– o segundo com um terço,

– e o terceiro com um nono dos camelos.

Os filhos procuraram negociar a divisão dos camelos, mas rapidamente perceberam que não era possível dividir 17 por 2, tal como não era dividir por 3 e nem sequer por 9. Desesperados por não conseguirem desfazer aquela confusão, resolveram pedir ajuda a uma sábia idosa da comunidade onde viviam.

Depois de apresentado o problema a senhora pensou um pouco e acabou por lhes indicar que os poderia ajudar.

– Ofereço-vos o meu camelo. Assim, já ficam com 18, que dá para fazer a divisão que o vosso pai desejava.

E assim foi. Ao dividirem os 18 camelos, o primeiro filho ficou com 9 camelos, o segundo com 6 e, por fim, o terceiro com 2 camelos.

Feitas todas as divisões, ficou a sobrar um camelo. Pela generosa ajuda que a velha sábia lhes havia dado para resolverem o problema, os três irmãos decidiram oferecer o camelo de volta à idosa.

 

Muitas vezes andamos às voltas com problemas de “17 camelos”, sem encontrar solução, embrenhados em conflitos que não conseguimos deslindar. Mas quando nos afastamos do problema, damo-nos a possibilidade de encontrar um novo olhar para o desafio e encontrar novas possibilidades para resolver algo que à partida nos parecia irresolúvel.

Não raras vezes, sozinhos temos dificuldade em sair do epicentro do problema ou conflito e focarmo-nos na solução. É nessa medida que contar com alguém, talvez um familiar, um amigo, um facilitador ou um mediador, que nos apoie neste processo pode ser uma preciosa ajuda para encontrarmos os 18º camelo que falta na equação.