Já nasceu o ‘Emoções à flor da Mente’

Reading Time: 2 minutes

Emoções à flor da Mente

Em nós existe uma energia latente, imensa, que nem sempre sabemos gerir: as emoções.

Achamos tantas vezes que o que somos, o que é feito de nós e o que de nós fazemos, é uma fatalidade, ao abrigo de estados de espírito insondáveis e indomáveis, qual Gabriela ‘Eu nasci assim, eu sou sempre assim…’. Mas não é verdade, ou antes, não tem necessariamente de ser assim.

Somos o que construímos, em nós, para nós e para os outros, eventualmente por influência externa, mas sobretudo por força interna do que nos é incutido, do que aprendemos, das experiências que temos, do que enraizamos e do que conformamos ou superamos.

As emoções têm neste processo um papel fulcral. Mais do que o status social, a genética, as origens, a inteligência, o ambiente,… é esta gestão das emoções que nos assegura que construímos plenamente, por inteiro, em cada momento, seja ele bom ou mau, uma vida que vale verdadeiramente a pena ser vivida.

É essa gestão, com uso da consciência, que dita a desventura ou o sucesso em períodos críticos e mesmo naqueles que aparentam ser dias mais vulgares de cada existência.

Comunicar acerca de gestão de emoções, de inteligência emocional, dos estados de espírito que nos assaltam a todos, do que nos incomoda, do que nos inspira, de como se materializam as emoções no nosso organismo (e o bem ou mal que lhe fazem), das descobertas nesta área, das abordagens que existem em esferas tão abrangentes como o desenvolvimento pessoal, a família, o trabalho, a sociedade, a saúde, a educação,… tudo isto, não é apenas algo com que me identifico. É um propósito de vida que procuro incorporar de uma forma saudável e consciente na minha vida, numa descoberta constante e entusiástica, que de tão desafiante que é, não poderia ficar contida em mim.

O conhecimento é um bem precioso. Partilhado enriquece-nos a todos. Tem o poder de nos mudar, melhorar, elevar.